534361361PUZY.jpgDizem que pareço com ele. 

Outros fazem de mim, o que ela é.

Dizem, que dele e dela herdo a vontade de vida. Dizem isto e aquilo e eu me arrepio. Porque às vezes, sou ele e doutras sou ela. Quando anoitece o ano velho, com colheres de pau, fazem das panelas tamboresBendita é a loucura que me abraça o coração. Dela nasce o poema. Se vejo a serpente em forma de gente e com ela danço, é porque dizem que herdo a vontade de ser. Ele tem nome e ela também. Fazem parte de todas as partes que conheço. Em cada curva, o desvio do encontro. Dizem isto e aquilo, e eu me arrepio com cada sorriso escondido no pranto. No inferno descubro o anjo. No paraíso, abraça-me o diabo. No caminho, entre o que fui e sou, esqueço. Dizem isto e aquilo, enquanto morro e nasço.

Facebook share
online portfolio